Estudo sobre Gideão – Pregação sobre Gideão

Estudo e Pregação sobre Gideão

pregação sobre gideão

Um estudo em Juízes 6 , 7 , 8

O décimo primeiro capítulo de Hebreus apresenta uma lista de pessoas fiéis no serviço de Deus ao longo dos anos. Um deles é um homem chamado Gideão. O escritor de Hebreus simplesmente diz: “O tempo não me falaria de Gideão” ( Hebreus 11:32 ).

Deus escolheu pessoas para servi-Lo de diferentes maneiras. Ele recrutou pessoas de diversas origens. Deus chamou Moisés em uma sarça ardente no deserto. Ele chamou Samuel como uma criança deitada em sua cama. Ele chamou Davi em um campo de batalha, Elias nos tribunais de Acabe, Isaías enquanto confessava seus pecados no templo e Pedro de um barco de pesca no mar da Galiléia. Gideon foi chamado no meio de uma pergunta. Ele estava debulhando grãos na encosta da montanha em Ofra. Os midianitas expulsaram os israelitas dos vales férteis para as montanhas e, durante sete longos anos, a terra gemeu sob as invasões dos midianitas.

Enquanto Gideão realizava sua obra, o anjo do Senhor estava diante dele e disse: “O Senhor está contigo, valente” ( Juízes 6:12 ). Mas Gideão respondeu ao anjo com uma pergunta: “Se o Senhor está conosco, por que então tudo isso nos aconteceu? E onde estão todos os seus milagres que nossos pais nos disseram? . . . agora o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos dos midianitas. ”

Gideão foi um dos juízes em Israel. O livro de Juízes (no Antigo Testamento) narra cerca de 300 anos da história de Israel sob 13 homens que Deus levantou para defender o povo de Israel de seus inimigos e restaurar alguma medida de ordem.

O livro de Juízes descreve ciclos contínuos de pecado – seguidos de servidão, tristeza e salvação. Após 40 anos de peregrinação no deserto – Deus (através de Josué) levou Israel à Terra Prometida, e as 12 tribos de Israel se estabeleceram em suas áreas designadas. O livro de Juízes continua a história da conquista da Terra Prometida, que começou no livro de Josué.

A jovem nação de Israel, tendo acabado de se estabelecer na terra, não tinha governo central. Por duas vezes, o livro de Juízes diz que “não havia rei em Israel, (e) todo homem fazia o que era certo aos seus próprios olhos” (17: 6 e 21:25). As pessoas abandonaram o Senhor vez após vez e tornaram-se presa fácil das nações inimigas. O primeiro capítulo de Juízes descreve algumas das nações cananeus perversas que perturbavam Israel. O caos existia por todos os lados.

Houve dois problemas básicos durante os primeiros anos de Israel na terra de Canaã:

1) Enquanto Josué estava vivo, o povo serviu ao Senhor ( Josué 24:31 ), mas após a morte de Josué, parece que não havia ninguém com fortes qualidades de liderança e profundo compromisso espiritual para tomar seu lugar. E assim, quando as novas gerações cresceram, o povo “não conhecia o Senhor”, nem obedeceu aos Seus mandamentos ( Juízes 2:10 ). E uma das grandes leis do universo é que Deus punirá a descrença e a desobediência.

2) O outro problema era que Israel falhou em completar sua tarefa de expulsar todos os habitantes de Canaã. O povo de Canaã era terrivelmente mau – impregnado de idolatria, imoralidade e crueldade. Eles estavam vivendo tão profundamente em pecado que havia pouca esperança para resgatá-los, e então Deus disse a Israel: “Vocês os expulsam. Você entra e possui a terra ”(ver Êxodo 23: 24b , 31b e Números 33: 52a , 55 ). Mas o Salmo 106: 34-36 diz: “Eles não destruíram as nações. . . mas foram misturados entre os gentios, e aprenderam suas obras, e serviram a seus ídolos que lhes eram uma armadilha. ” Números 33:55 diz que os bolsos do inimigo que restavam se tornariam farpas nos olhos para atormentá-los.

Porque Israel não conseguiu conduzir totalmente fora todos os habitantes cananeus, sua vitória incompleta deixou pequenos bandos do inimigo espalhados por toda a terra e essas tribos pagãos cananeus ia de vez em quando invadem Israel, assumir as suas colheitas, e às vezes até cobrar impostos sobre a Povo israelita. As nítidas linhas de distinção entre Israel e as nações pagãs ao seu redor começaram a ser comprometidas. As crenças dos pagãos foram misturadas com a religião dos hebreus, e isso provocou a ira do Senhor. Juízes 2:12 diz: “E deixaram o SENHOR Deus de seus pais, que os tirou da terra do Egito, e seguiram outros deuses, os deuses do povo que os rodeava, e se curvaram a eles, e provocaram o SENHOR a raiva.”

A lição de tudo isso é que nunca podemos desfrutar do descanso prometido por Deus por muito tempo – se tolerarmos apenas pecados parcialmente esmagados! Aquele cantinho no coração (que deixamos para o inimigo) mais tarde se tornará um espinho para nos irritar!

Uma das belezas do amor de Deus pela família humana é que Sua ira (descrita em Juízes 2:12 ) é correspondida por Sua misericórdia. Quando há arrependimento e um compromisso de se afastar do mal, Deus traz libertação.

Na história de Israel, logo após entrar na Terra de Canaã – a Bíblia diz: “No entanto, o Senhor levantou juízes, que os livraram da mão daqueles que os mimavam” ( Juízes 2:16 ). A palavra “juiz” foi usada em parte como uma palavra padrão para um líder político, mas também foi usada para indicar um herói militar que resgatou Israel de inimigos tribais (que geralmente eram muito mais poderosos em número do que Israel).

Alguns dos juízes são meramente nomeados e pouco mais é dito sobre suas atividades. Outros (como Gideon e Sansão) são descritos em grande detalhe. Nossa lição deste livreto da Bíblia Ajuda se centra na atividade de Gideão.

Após a libertação que Deus deu a Israel por Débora e Baraque, Israel recebeu descanso de seus inimigos por 40 anos ( Juízes 5:31 ). Então, um triste ciclo de pecado e apostasia se instalou mais uma vez. Desta vez, a nação inimiga eram os midianitas. Os midianitas eram nômades dos desertos leste e sul de Israel. Os soldados midianos atormentaram Israel fazendo ataques de guerrilha contra a terra – saqueando e destruindo as colheitas e os animais. Isso continuou por sete anos ( Juízes 6: 1 ). Desesperado, o povo de Israel clamou ao Senhor por ajuda ( Juízes 6: 6 ). Mais uma vez Deus veio em socorro e ajudou Seu povo.

1. Encontrar um líder ( Juízes 6: 11-14 )

“E veio um anjo do Senhor, e sentou-se debaixo de um carvalho que estava em Ofra, que pertencia a Joás, o abiezrita; e seu filho Gideão debulhou o trigo (hebraico “no”) o lagar, para escondê-lo dos midianitas ”( Juízes 6:11 ).

O pai de Gideon era Joash. Ele era da tribo de Manassés. Joash e Gideon, de alguma forma, foram capazes de cultivar e colher um pouco de trigo, apesar de bandos de soldados midianitas saquearem e destruírem a maioria das colheitas. Quando o anjo do Senhor apareceu a Gideão, ele estava secretamente tentando trilhar um pouco de trigo em um lagar para fornecer um pouco de comida ( Juízes 6:11 ).

O “lagar” era um poço cortado na rocha e era usado para esmagar o suco das uvas. Gideão estava tentando jogar trigo no lagar para esconder o que estava fazendo dos midianitas inimigos. O local habitual para debulhar grãos era um local aberto e elevado, onde o vento soprava a palha quando o trigo era jogado no ar. Enquanto Gideão trabalhava para tentar trilhar o trigo, um anjo do Senhor veio e sentou-se sob um carvalho próximo.

“E o anjo do Senhor apareceu-lhe e disse-lhe: O SENHOR é contigo, valente. E Gideão disse a ele. . . Se o Senhor está conosco, por que então tudo isso nos aconteceu? E onde estão todos os seus milagres que nossos pais nos disseram, dizendo: O Senhor não nos trouxe do Egito? Mas agora o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos dos midianitas ”( Juízes 6: 12-13 ).

Embora Gideon fosse chamado de “homem de valor”, ele certamente não se sentiu muito corajoso. Ele ouvira falar dos milagres de Deus no passado e depois disse: “Mas o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos dos midianitas”. Gideão estava certo ao dizer que o Senhor trouxe o povo de Israel da terra do Egito (v.13a), mas ele estava errado ao dizer “O Senhor nos abandonou” (v.13b). Gideão não estava prestando atenção às palavras do versículo 12, quando o anjo disse: “O Senhor está contigo”.

“E o Senhor olhou para Gideão e disse: Vai nesta tua força, e salvarás Israel das mãos dos midianitas. Não te enviei? ( Juízes 6:14 ). O “anjo do Senhor” foi uma das primeiras manifestações do próprio Deus. Não foi apenas um anjo que falou, mas foi “o Senhor” que “olhou para ele e disse: Vai. . . . ”

Gideão deve ter se perguntado como ele poderia salvar Israel dos midianitas inimigos. Ele era de uma família pobre e era o menor da família. Mas o Senhor teve uma resposta rápida para ele. Deus disse: “Certamente estarei contigo”. Observe as palavras encontradas em Juízes 6: 15-16 : “E ele lhe disse: Ó meu Senhor, com quem salvarei Israel? Eis que minha família é pobre em Manassés, e eu sou o menor na casa de meu pai. E o Senhor lhe disse: Certamente estarei contigo, e ferirás os midianitas como um homem.

Quem entre nós – quando chamado a servir o Senhor de alguma maneira – não se sentiu, como Gideão, indigno e desqualificado. Quando Charles Spurgeon (aos 19 anos) foi chamado para pastorear a Park Street Church, em Londres, ele estava convencido de que havia cometido um erro e que o convite era destinado a outra pessoa. Mas, considerando que sua força tinha que vir do Senhor, ele aceitou o chamado e acabou se tornando um dos pregadores notáveis ​​de todos os tempos.

Gideão reconheceu que este era um chamado pessoal para servir a Deus de uma maneira especial. A primeira tarefa de Gideon foi destruir o altar de seu pai, erguido para o deus pagão Baal, que havia sido montado no quintal da família. Gideão destruiu o altar, e as pessoas da comunidade ficaram amarguradas por esse ato. A raiva deles era tão grande que eles estavam prontos para matar Gideão por destruir o altar ( Juízes 6: 25-32 ). Esses versículos nos dizem algo sobre a coragem de Gideão.

As coisas começaram a se mover rapidamente após esse evento. Os midianitas reuniram um grande exército no vale de Jezreel (6:33) e, à medida que a oposição dos midianitas se intensificava, Gideão enviou um apelo a voluntários de várias tribos de Israel para ajudar a expulsar os midianitas. E 32.000 homens de várias tribos israelenses se reuniram em resposta ao chamado de Gideão.

2. Reduzir um exército ( Juízes 7: 1-7 )

Gideão pode ter pensado que o número de homens que se reuniam era pequeno demais para combater a multidão de midianitas que haviam preenchido uma grande parte do vale de Jezreel. Juízes 8:10 indica que havia 135.000 soldados inimigos reunidos no vale, não muito longe.

Gideão levantou-se de manhã cedo e Juízes 7: 2 diz: “E o Senhor disse a Gideão: O povo que está contigo é demais para eu entregar os midianitas em suas mãos, para que Israel não se vanglorie contra mim, dizendo: Minha própria mão me salvou. ” Gideão reuniu 32.000 homens na colina com vista para o vale abaixo. E mesmo havendo mais de quatro vezes o número de soldados inimigos acampados no vale – Deus ordenou a Gideão que diminuísse suas fileiras.

Deus primeiro disse a Gideão que dispensasse todos os que estavam com medo . Mais de dois terços dos homens foram para casa. Apenas 10.000 permaneceram (7: 3). A banda de Gideon estava agora em número de 13 para 1.

Então Deus disse a Gideão que dispensasse todos os que não prestassem atenção . O exército ainda era grande demais para servir ao propósito do Senhor. Um pequeno riacho corria pelo campo. Os homens deveriam descer lá para tomar um drinque e aqueles que lambiam a água com as mãos (sem tirar os olhos do horizonte) – eram retidos no exército de Gideão. Aqueles que se ajoelharam para beber, esquecendo de vigiar o inimigo, foram demitidos. Desta vez, mais 11.700 soldados foram para casa. Agora, apenas 300 soldados israelitas permaneciam (7: 4-8). O grupo de soldados de Gideon estava agora em número de 450 para 1.

Os que restaram foram os cuidadosos . Deus exigia apenas alguns, mas os poucos que Ele tinha eram para ser leais e sem medo. O exército de Gideão era de 300 homens. Os midianitas eram 135.000. Deus freqüentemente reduz nossos recursos para que possamos depender inteiramente dEle. Às vezes, o Senhor envia doenças, reveses financeiros e dificuldades de um tipo ou de outro – para nos treinar a confiar apenas em Seu poder. Hudson Taylor, um missionário pioneiro na China, acreditava firmemente que Deus conhecia suas necessidades e que as atendia. Em uma ocasião, Taylor tinha apenas 87 centavos. Ele escreveu a um amigo, dizendo: “Temos isso – e todas as promessas de Deus”.

Quando Deus terminou de preparar Gideão e seu exército para a batalha (agora limitada a 300 homens), Gideão não teve outra escolha senão confiar em Deus. E como veremos, a surpreendente vitória que Gideão alcançou sobre o inimigo demonstra que a extremidade do homem é a oportunidade de Deus. Deus se deleita em revelar Seu poder quando nós, seres humanos, reconhecemos nossa fraqueza.

Não podemos ser pequenos demais para Deus usar, mas podemos ser grandes demais. Se queremos o crédito pelo que Deus está fazendo, Deus não nos usará. Deus diz: “Eu sou o Senhor; esse é meu nome; e a minha glória não darei a outro ”( Isaías 42: 8 ).

Para ver mais estudos e esboços de pregação. Continue acompanhando este blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *